Você não precisa ficar aonde está, se não quiser. Movimente-se!

A quantos passos você está de conquistar seu objetivo? Você já deu o primeiro passo ou ele ainda está no mundo das ideais? Querer é muito bom, mas a ação orientada para a conquista é ainda mais. Pegue seus sonhos adormecidos, os planos empoeirados e vamos comigo descobrir como torná-los reais.

Hoje, vamos conversar sobre a importância de “fazer o trem andar“. De sair da inércia, de começar a acreditar. Se você não for a primeira pessoa a fazer isso, sinto muito, certamente ninguém fará. Vamos lá? Continue comigo.

Você não precisa ficar aonde está

Sabe aquele lugar cômodo que ninguém mexe com você e nada acontece de anormal. Lá é bom, de certa forma. Você sabe onde está cada coisa. Sabe exatamente o que vai acontece a seguir… você tem controle de tudo! Pelo menos é o que você acha.

Minha amiga, quando todo mundo percebe que você está “estancada” na vida e só você acredita que tá tudo “lindo e maravilhoso” é porque seu trem precisa andar.

Se não acontecer isso, ele vai quebrar. Perceba bem: você é o trem. Você VAI QUEBRAR!

A saúde vai reclamar. Seu marido — ou namorado — talvez te largue. O emprego, ou vai ficar cada dia mais insuportável ou vai embora também. As coisas começam a desmoronar. Mas, o curioso é que na maioria das vezes você não associa essas coisas ao seu trem parado. Você encontra motivo em tudo, menos nele. Você culpa os outros.

Mas eu te garanto que a ÚNICA pessoa que está causando essas coisas é você.

Difícil admitir isso, né?

Na maioria das vezes, aceitar que é responsável pelas coisas que nos acontece é que nos faz paralisar. Tem gente que é tão orgulhoso, que se irrita quando dizemos isso. Fica com raiva, arruma defeitos na gente e para a leitura. Tudo porque não aceita ser o responsável pelas coisas que lhe acontece.

Comece aceitando que precisa sair do lugar

A menos que realmente esteja tudo bem com você e que está exatamente aonde queria, aceite que precisa fazer seu trem andar. Não precisa engatar logo de primeira 120 km/h. Comece com 20 km/h e já verá a diferença.

Mesmo que você seja uma pessoa caseira, que curte programas tranquilos, precisa sair do lugar. Sabe por que? É que a vida é MOVIMENTO. Isso não quer dizer que você precisa estar saindo, literalmente.

O movimento a que me refiro é aquele que faz a gente dizer: nossa, tem muita coisa acontecendo!

Quando sua vida está em movimento, conversas interessantes surgem, livros são lidos até o final, o trabalho rende, alguns passeios saem do mundo das ideais, namoros começam — e terminam. Enfim, as coisas acontecem, de acordo com a vida de cada um.

Mas, VOCÊ  precisa querer ir, precisa sair da zona de conforto.

Você precisa DAR O PRIMEIRO PASSO.

Mas, Lidiane, que primeiro passo é esse? Admitir que precisa sair do lugar!

Antes de procurar medidas externas — terapias, ferramentas, treinos ou seja o que for — assuma de frente ao espelho que você é o criador da própria realidade, responsável pela sua vida e que quer sair do lugar e avançar na vida.

Que quer permitir que Deus coloque à sua disposição todas as possibilidades e que elas estão ao seu alcance.

Faça isso e SOLTE. Quando você pede e solta, as coisas se aproximam e, aí, você agarra.

Depois, permita-se viver o que vier. Arrisque novos sabores. Deixe se aproximar novos desejos. Reescreva em um papel os sonhos antigos e anote novos.

Permita-se sentir de novo como é bom “correr atrás de um objetivo” e vá. Afinal, basta um primeiro passo para acionar o comando e fazer o trem andar.

Quando ele estiver se movimentando, você vai notar que estava realmente parada, criando lodo ao redor. E vai perceber como é gostoso se mexer novamente.

Pra finalizar, porque eu quero que essa mensagem chegue a mais pessoas, peço a você que compartilhe nas redes sociais. Desse modo, teremos mais e mais gente dando movimento à vida ou, pelo menos, caindo na real. Conto com você! 🙂

Quer acompanhar meus textos e reflexões? Clique aqui e curta minha página!

Lidiane Franqui

Comente também!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *